Boletim Rede @limenta – Assembleia Geral da ONU lança Década de Ação pela Nutrição (07/04/2016)

19/04/2016 23:15

 

Assembleia Geral da ONU lança Década de Ação pela Nutrição 
Resolução teve apoio do Brasil, que já define para os próximos anos diversas iniciativas para a promoção da alimentação saudável 

A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou nesta sexta-feira (1º), em Nova Iorque, EUA, resolução que define que o período de 2016 a 2025 é a Década de Ação pela Nutrição.

Leia mais »

“Brasil se tornou uma referência internacional de políticas de segurança alimentar e nutricional” 

Representante da FAO destaca iniciativas que contribuíram para o país sair do Mapa Mundial da Fome, durante o lançamento de livro sobre experiências brasileiras. Leia mais »

Agricultura familiar abastece restaurante universitário em Santa Maria (RS) 

UFSM vai comprar mais de 230 toneladas de alimentos para servir nas 10 mil refeições diárias consumidas pelos estudantes. Leia mais »
Experiência do Banco de Alimentos de Poços de Caldas é selecionada para mostra. Leia mais »
Dia Mundial da Saúde: qualidade da alimentação é prioridade 

Ações do governo federal combatem obesidade e sobrepeso, que levam a doenças como diabetes, tema definido para a data pela Organização Mundial da Saúde. Leia mais »
“Sei bem o que é ser humilhada, não ter direitos, ser tratada com indiferença” 

Ex-beneficiária do Bolsa Família, Vanilda Sousa Araújo se enxergou na personagem do filme Que horas ela volta?, exibido durante 2º Encontro de Mulheres do Bolsa Família de Canoas (RS) – quem ainda não assistiu, vale a pena conferir. Leia mais »
Alimentação & Nutrição: ‘Pigmentos saudáveis’ 

Refrigerantes, frituras e guloseimas roubam espaço das frutas, verduras e legumes no prato dos brasileiros.Refrigerantes, frituras e guloseimas roubam espaço das frutas, verduras e legumes no prato dos brasileiros. O resultado é o baixo consumo de nutrientes essenciais à saúde. Leia mais »
Alimentação Saudável 

Diariamente estamos expostos a substâncias químicas ou tóxicas e muitas vezes nem percebemos. Atenção a origem dos alimentos! Leia mais »

Boletim Brasil Social – Abril/2016

19/04/2016 22:59

Dia Mundial da Saúde: qualidade da alimentação é prioridade 
Ações do governo federal combatem obesidade e sobrepeso, que levam a doenças como diabetes, tema definido para a data pela Organização Mundial da Saúde 

Ampliar o acesso à alimentação saudável e combater o sobrepeso e a obesidade são prioridades para o país. Superada a fome como problema estrutural, a agenda para os próximos anos concentra esforços na redução do consumo de alimentos processados e ultraprocessados, que levam a doenças como a diabetes, tema do Dia Mundial da Saúde, celebrado nesta quarta-feira (7) pela Organização Mundial da Saúde.

Leia mais »

Parceria entre o MDS e o BNDES irá entregar 3,4 mil cisternas de produção no Semiárido. Leia mais » Crianças e região Nordeste são maioria das pessoas que superaram miséria 

Dados do Cadastro Único identificam cada uma das pessoas que melhoraram de vida graças ao complemento mensal de renda do Bolsa Família. Leia mais »
Beneficiários do Bolsa Família podem usar novo cartão para pagamentos e planejar gastos 

Bancarização representa ampliação de direito às famílias de baixa renda. Uso do cartão de débito traz segurança e praticidade às famílias. Leia mais »
Governo agiliza concessão de BPC às crianças com microcefalia 

Crianças com diagnóstico confirmado serão encaminhadas aos Cras para atendimento especial. Leia mais »

Assembleia Geral da ONU lança Década de Ação pela Nutrição 

Resolução teve apoio do Brasil, que já define para os próximos anos diversas iniciativas para a promoção da alimentação saudável. Leia mais »
Medida provisória aprimora gestão do Brasil Carinhoso 

Em audiência no Senado Federal, ministra Tereza Campello destaca importância da regra para ampliar vagas em creches para crianças mais pobres. Leia mais »
Sem fome e sem miséria, crianças podem se desenvolver melhor 

No Dia Mundial da Infância, país celebra a garantia de direitos para crianças por meio de políticas públicas. Leia mais » 
Conta Poupança Fácil: Beneficiários podem receber o Bolsa Família em conta poupança 

Bancarização representa ampliação de direito às famílias de baixa renda. Uso do cartão de débito traz segurança e praticidade às famílias. Ouça »

7º Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde abre inscrições

19/04/2016 22:49

Sob o tema “Pensamento Crítico, Emancipação e Alteridade: Agir em Saúde na (Ad)diversidade” a 7ª edição do Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde da Abrasco acontecerá em Cuiabá, Mato Grosso, na região do Pantanal do Brasil, de 09 a 12 de outubro de 2016, e reunirá pesquisadores, docentes, profissionais, estudantes de pós-graduação e graduação nas áreas de ciências humanas e sociais voltadas para a saúde e participantes de movimentos sociais.

A programação científica vai expressar as preocupações de pesquisadores do campo das Ciências Sociais e Humanas em Saúde com a atual situação, extremamente complexa e desafiadora de “sermos sociedade”, e decorre da reflexão sobre a pluralidade de experiências sociais nos seus mais diferentes níveis e sobre os respectivos contrastes e tensões que carregam no contexto contemporâneo e que se expressam na vida de pessoas e coletividades.

Como inspiração para a identidade visual está a fotografia de Mike Bueno ‘Dormitório de pássaros na Baía Sinhá Mariana’ de Mato Grosso. A foto mostra o acolhendo da diversidade das várias espécies de pássaros, aqui representados pelos biguás, garças brancas pequenas, colhereiro, arara e outros.

Para a Comissão Científica do congresso, o espelhamento do dormitório na lâmina d’água reflete, ao mesmo tempo, eu mesmo e o outro, o contraponto, o diferente; mas também refrata podendo simbolizar a adversidade, a destruição dos ninhos pela mesma água que os alimenta, ou seja, na verdade é o igual pelo “avesso”. Tal (ad)diversidade está presente no pantanal e molda-se em meio a coexistências contrastantes de supostas fronteiras movediças e fluidas de riqueza e pobreza, seca e cheia, escassez e abundância.

O 7º CBCSHS também homenageia o cuiabano Manoel de Barros e sua paisagem do Pantanal em estado contínuo de germinação e decomposição, o tal Mundo renovado – “No Pantanal ninguém pode passar régua. Sobre muito quando chove. A régua é existidura de limite. E o Pantanal não tem limites”.

Para se inscrever, acesse aqui o site oficial do congresso.

Gordura trans pode estar com os dias contados

13/04/2016 09:04

Nesta quarta-feira (30/03), o plenário da Câmara dos Deputados aprovou o substitutivo ao projeto de lei (8.194/2014) oriundo do Senado que prevê a proibição do uso de gordura vegetal hidrogenada, conhecida também como gordura trans, em todo o país.

Para o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), a decisão é relevante, pois pode acelerar o processo de retirada da substância artificial em alimentos do mercado brasileiro, como em audiência pública da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), realizada na última segunda-feira (28/03), em Brasília. “São evidentes os efeitos negativos dessa substância para a saúde e também sabemos que as medidas adotadas até o momento são falhas e insuficientes”, comenta Ana Paula Bortoletto, nutricionista, pesquisadora do Idec e conselheira do Consea.

Após a audiência, a Anvisa abriu um canal para receber as contribuições da sociedade sobre a discussão da gordura trans. O formulário fica disponível para o público até 11 de abril. Agora, o  texto da proposta volta para o Senado antes de virar lei. Segundo a conselheira, no entanto, ainda há ajustes a serem feitos na proposta atual que serão encaminhados em breve pelo Idec aos senadores.

Caso o projeto seja aprovado, até 2019 todos os alimentos produzidos e comercializados no país, ainda que importados, não poderão ter na sua composição a presença da gordura trans. Uma pesquisa online – feita pelo Idec com 1.624 consumidores – aponta que  95% dos participantes concordam com a proibição da gordura trans, considerando os riscos que o consumo traz à saúde.

O levantamento, inédito sobre o tema no país, também mostra que uma considerável fatia das pessoas (89,2%) busca se informar sobre a presença da substância nos alimentos industrializados por meio da tabela nutricional, lista de ingredientes e a parte frontal dos rótulos – que juntos somam 47% das respostas.

Apesar disso, os resultados indicam que 34% acreditam que os fabricantes omitem ou manipulam as informações nutricionais, e 30% acham que falta clareza nos rótulos. “Atualmente, a declaração de ausência não significa que o alimento seja livre de gordura trans, já que a atual regulação permite que um produto declare ter ‘zero’ gordura trans, mesmo que o teor seja igual ou menor que 0,2 g na quantia declarada”, comenta Ana Paula Bortoletto.

Clique aqui para enviar sua opinião.
Confira os resultados da pesquisa.

Fonte

Pulverização aérea para Aedes aegipty

13/04/2016 08:54

Fumacês

Sobre o uso do fumacê: para que ele seja efetivo, já que é um aerossol e faz aquela nuvem de veneno, a gotícula desse aerossol tem que entrar em contato com a forma alada do mosquito para matá-lo. Veja como essa possibilidade é muito pequena na medida em que o mosquito é muito adaptado ao ecossistema urbano, pois não é à toa que conquistou as cidades e sabe se alojar em múltiplos esconderijos.

E o que é pior: com anos e décadas de usos intensivos dos fumacês, o mosquito foi ficando resistente ao veneno. Isso está obrigando o Ministério da Saúde a usar o Malathion , um organofosforado que atinge o sistema nervoso central e é considerado pela Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer – IARC um provável carcinógeno humano. E veja que, com tudo isso, o governo continua querendo matar o mosquito com bala de canhão e, agora, ainda quer banhar as grandes metrópoles brasileiras com um provável carcinógeno humano. Isso é muito grave! Essa substância está liberada para uso e é encontrada em todo o país. E ainda, para ajudar… Deputados Federais ligados ao agronegócio estão propondo o uso de aviões para pulverizar esse veneno sobre as cidades.

 A respeito do pedido apresentado pelo Dep. Estadual Valdir Colatto (representando o SINDAG – Sindicato das Empresas de Aviação Agrícola) ao Ministério da Saúde para a utilização da ferramenta de pulverizações aéreas no combate ao Aedes aegipty, encaminhamos nota produzida pelo MS com apoio de vários setores com o posicionamento técnico do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador (http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2016/marco/30/Esclarecimentos-sobre-pulveriza—-o-a–rea-e-o-controle-de-endemias.pdf ) e também o posicionamento da ABRASCO com relação a pulverizações contra o Aedes aegipty (https://www.abrasco.org.br/site/2016/03/nem-fumace-nem-larvicida-quimico-coragem-e-saneamento-contra-o-mosquito-por-fernando-carneiro/ e http://abrasco.org.br/dossieagrotoxicos/)
 
Sugerimos a discussão desse tema nas comissões.
 
Atenciosamente,
Adriana Cristina Pedroso Ferraz
Analista do Ministério Público
Centro de Apoio Operacional do Consumidor
Tel.: (48) 3330-9523 www.mp.sc.gov.br

 

Participação Nuppre: Consulta pública sobre uso de gordura trans industrial em alimentos no Brasil

05/04/2016 19:05

O Núcleo de Pesquisa de Nutrição em Produção de Refeições da Universidade Federal de Santa Catarina (NUPPRE/UFSC) apresenta seu parecer sobre o uso da gordura trans industrial em alimentos com base em suas pesquisas com rotulagem e análise de alimentos, aliadas às extensas revisões de literatura científica elaboradas em seus relatórios de pesquisa, dissertações e teses. Segue parecer abaixo:

Parecer NUPPRE – UFSC – uso de gorduras trans industriais em alimentos no Brasil – abril 2016

7º SIMBRAVISA abre suas inscrições

05/04/2016 18:57
Sob o tema “O Sistema Único de Saúde e seu Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, a 7ª edição do Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária da Abrasco, traz em sua concepção visual as cores intensas do artista argentino Hector Bernabó, mais conhecido como Carybé – as variadas cores e movimentos da obra caryberiana certamente refletirá o intenso e caloroso debate de novembro.
O SUS, considerada a política do Estado brasileiro mais inclusiva de todos os tempos, está sob sérias e graves ameaças, especialmente a manutenção do seu caráter universal, público e gratuito. Isto porque, a resposta diante da crise ao subfinanciamento crônico, não vem por propostas de mais recursos públicos para investimentos e custeio para as ações e serviços de saúde, ao contrário disso, o que assistimos no Congresso Nacional são investidas no sentido de mudanças à Constituição, para permitir a entrada direta de capital e seguradoras estrangeiras no mercado da saúde, além de projeto de emenda constitucional que obriga as empresas a contratarem planos de saúde para seus empregados. Venha refletir, dialogar, trocar idéias e experiências sobre esta área que é uma das mais antigas e desafiadoras da saúde coletiva, a vigilância sanitária.

 

Consulta pública: utilização de gordura trans industrial em alimentos

05/04/2016 18:55

Está aberta uma consulta pública da ANVISA sobre a utilização de gordura trans industrial em alimentos. O prazo é curto – as contribuições serão aceitas apenas até dia 11/04 pelo formulário online: http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=25270

O Núcleo de Pesquisa de Nutrição em Produção de Refeições da UFSC, que trabalha com o tema há mais de 10 anos, pede a sua participação neste importante momento, registrando o pedido de eliminação da gordura trans industrial em alimentos produzidos/comercializados no Brasil.
Anexamos a nossa sugestão de preenchimento do formulário, solicitando a sua participação como pessoa física, bem como a divulgação para que outras pessoas também participem.

Sugestão NUPPRE – consulta pública sobre o uso de gordura trans industrial abril 2016 (versão em .pdf)

Sugestão NUPPRE – consulta pública sobre o uso de gordura trans industrial abril 2016 (versão em .docx)

Má conduta científica: Punição rigorosa e inovadora

05/04/2016 18:51

Ilustra Boas práticasA National Science Foundation (NSF), principal agência norte-americana de apoio à pesquisa básica, adotou uma medida rigorosa e incomum para encerrar uma investigação de má conduta científica. A fim de resolver um episódio que se arrastava havia 12 anos, a agência determinou que os autores de um artigo sobre um processo de síntese de nanopartículas, publicado na revistaScience em 2004, não poderiam voltar a pedir financiamento à NSF. Isso, apesar de considerar que os autores não eram culpados por má conduta. Uma investigação mostrou, contudo, que eles violaram uma regra da agência, que é a de reportar todos os achados significativos. E o artigo em questão não pode ser reproduzido por outros pesquisadores, segundo a NSF, porque os autores omitiram dados que permitiriam replicar os resultados.

A NSF também inovou ao abrir uma brecha para os autores punidos, três pesquisadores da Universidade do Estado da Carolina do Norte (NCSU, em inglês). Eles poderiam voltar a pleitear financiamento desde que enviassem à Science uma carta relatand
o os problemas e complementando dados omitidos. Eles fizeram isso e se reabilitaram na NSF, mas a revista optou por retratar o paper, em vez de publicar a carta, por considerar que as omissões comprometiam a lisura do artigo. A decisão chamou a atenção porque, na maioria dos casos investigados pela NSF em que há comprovação de má conduta, os autores enfrentam a suspensão do financiamento federal por um período de tempo e o artigo é cancelado. Já em casos considerados menos graves, como esse, a punição tendia a ser branda.

Em 2006, um pesquisador da NCSU tentou reproduzir um estudo sobre síntese de nanopartículas publicado dois anos antes por Lina Gugliotti, Daniel Feldheim e Bruce Eaton, na época vinculados à universidade. A tentativa fracassou e a hipótese de má conduta foi levantada. Em 2008, uma investigação da NCSU concluiu que os experimentos de microscopia eletrônica para estudar a formação de partículas não haviam sido realizados corretamente. Na mesma época, a Universidade do Colorado também se debruçou sobre o caso, mas considerou que nada de errado havia com a pesquisa. O impasse levou a NSF, que financiou o estudo, a investigar. A conclusão foi de que os autores haviam omitido dados importantes  no artigo. Ao site Chemical & Engineering News, Bruce Eaton, coautor do paper, contestou a decisão da Science de retratar o artigo em vez de corrigi-lo. “Sei que as nanopartículas relatadas no trabalho são reproduzíveis”, afirmou.

Transgênicos e saúde são tema de conferência

05/04/2016 18:45

O pesquisador francês Robin Mesnage, do Departamento de Genética Médica e Molecular da Kings College, de Londres, apresentará a conferênciaEfeitos potenciais na saúde humana de plantas transgênicas e de seus agrotóxicos associados, na quinta-feira, 7 de abril, às 9h no auditório da sede do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). A conferência terá tradução simultânea e foram disponibilizadas 150 vagas, já esgotadas na quinta-feira, 31 de março. Robin Mesnage vem a Florianópolis a convite do professor da UFSC Rubens Onofre Nodari, do departamento de Fitotecnia e pesquisador da área de variabilidade genética.

Robin Mesnage estuda os efeitos causados pelos agrotóxicos e alimentos transgênicos na saúde humana. Um dos focos de sua pesquisa é o herbicida glifosato, número um em vendas e utilizado largamente na agricultura. O glifosato é comercializado como Roundup e usado para eliminar pragas das plantações de milho e soja, dentre outras culturas.

Em 2003, o Brasil liberou variedades de milho e soja transgênicos, devido à já existente produção ilegal de soja geneticamente modificada para resistir ao glifosato. Dessa forma, a palestra de Robin Mesnage proporcionará um debate nos âmbitos internacional e nacional sobre a transgenia na agricultura.

A conferência foi oganizada pelo Fórum Catarinense de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos (FCCIAT) juntamente com o Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional do Ministério Público de Santa Catarina.

Mais informações aqui.

Fonte: Notícias da UFSC